terça-feira, 27 de agosto de 2013

Especial - Dia do Psicólogo

Postagem um pouco atrasada, mas dedicada de coração e com muito carinho à todos os profissionais, estudantes, amantes... de psicologia.

"Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito. É preciso também que haja silêncio dentro da alma."
Para comemorar esse dia ao estilo apaixonados por livros, separamos 5 indicações para vocês!

O Lobo Mau no Divã - Laura James
Nesta obra, o leitor vai aprender sobre psicanálise e psicologia de uma maneira esclarecedora e nada convencional. Ao reler os contos de fadas para a filha, Laura James percebeu o quanto os personagens que povoam o imaginário infantil são neuróticos, psicóticos e vítimas das mais diversas patologias. A jornalista buscou orientações em obras de referência e com psicanalistas renomados para abordar os sintomas e tratamentos recomendados para cada caso. Chegou o momento de
ver nossos personagens favoritos sob outra perspectiva e descobrir como reconhecer e ajudar alguém que, como
Sininho, Ursinho Pooh, Cinderela e o Mágico de Oz, sofre de algum distúrbio mental.



O Ciclo da Autossabotagem - Stanley Rosner e Patrícia Hermes
 Em O ciclo da auto-sabotagem, Stanley Rosner, Ph.D., aliase à escritora Patricia Hermes para analisar a compulsão por repetição – a tendência de o ser humano reproduzir atitudes que o fazem sofrer. Por meio de histórias reais, o autor mostra como episódios traumáticos – como a separação dos pais na infância ou o término conturbado de um relacionamento – podem criar dilemas inconscientes que acabam nos fazendo agir contra nós mesmos. O resultado é um ciclo de auto-destruição que afeta as relações pessoais e profissionais. Os autores também explicam como reconhecer esses comportamentos e superá-los, em busca de novos caminhos.
 Na Terra das Fadas - Bruno Bettelheim
Prepare-se para entrar no gabinete do Dr. Bettelheim. Aqui, quem se deita ao divã são personalidades que você conhece desde a infância: Branca de Neve, chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida e Gata Borralheira. Meninas, infelizmente, um pouco esquecidas nos dias de hoje. Dias que preferem aceitar os personagens assépticos e monocórdicos da literatura infantil contemporânea a encarar a complexidade conflitual do mundo dos contos de fadas. Foi preciso aparecer um psicanalista como Bruno Bettelheim para resgatar esses contos do limbo e revelar sua capacidade ímpar em dar sentido as experiências infantis. Pois ele soube compreender a advertência desmistificadora de Freud: não adianta envolver a criança com narrativas sobre um mundo cor de rosa se a experiência cotidiana sempre prova o contrário. Melhor é colocá-las de frente a um mundo onde os sentimentos de agressividade possam ser reconhecidos, ao invés de simplesmente recalcados.


 Saúde Emocional - Osho
Como conciliar a necessidade de expressar as emoções como o desejo de proteger os outros? Muitas vezes ficamos no dilema entre a expressão e a repressão. Osho, um dos mais provocativos e inspiradores mestres espirituais dos nossos tempos, apresenta neste livro uma abordagem prática e abrangente para resolvermos esse conflito definitivamente. Saúde Emocional nos ajuda a entender as raízes das nossas emoções, a reagir às situações de maneiras que possam nos ensinar mais acerca de nós mesmos e das outras pessoas, e a encarar os altos e baixos inevitáveis da vida com mais confiança e equilíbrio. A visão única e original de Osho da mente e do coração humanos vai muito além da psicologia convencional. Ele nos ensina a viver as nossas emoções de maneira mais plena e criativa, para termos uma vida muito mais rica e gratificante.


 Divã - Martha Medeiros
Divã conta a história de Mercedes - uma mulher com mais de 40, casada, filhos - que resolve fazer análise. O que começa como uma simples brincadeira acaba por se transformar num ato de libertação; poético, divertido, devastador.
Primeira novela da poetisa e cronista gaúcha Martha Medeiros, Divã é o relato emocionante de uma mulher que se descobre falível: capaz de ter sentimentos contraditórios, paixões voláteis e emoções à flor da pele.


 “Se eu deixar de interferir nas pessoas, elas se encarregarão de si mesmas. Se eu deixar de comandar as pessoas, elas se comportam por si mesmas. Se eu deixar de pregar às pessoas, elas se aperfeiçoam por si mesmas. Se eu deixar de me impor às pessoas, elas se tornam elas mesmas.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por participar com sua opinião. Seu comentário será aprovado em breve!

Respondemos todos os recadinhos!