terça-feira, 29 de abril de 2014

Resenha: Todo dia – David Levithan

Confesso que não sabia o quanto ia adorar ler Todo dia de David Levithan. Como nunca tinha lido nada do autor não tinha muitas expectativas, mas me surpreendi com uma escrita tão habilidosa e uma narrativa muito envolvente.
Todo dia há uma história nova, uma nova vida a ser vivida em um novo corpo com novos parentes e amigos. Quem nos conta tamanha aventura é A. Não parece um nome e não sabemos se A. é um menino ou uma menina, mas o conhecemos profundamente a cada página virada.

A. vive a cada dia com um novo corpo e muitos ‘eus’ diferentes. Há quem possa imaginar que nosso protagonista sofra de algum tipo de transtorno de personalidade, mas não é o caso. Ao mesmo tempo que a história me parecer tão surreal nas primeiras páginas lidas, não tem como não se identificar com  A. não ao fato de trocarmos de corpo, mas toda a metáfora e o significado que tudo isso nos faz pensar. Em como cada dia realmente é um novo dia, e somos pessoas diferentes com a mesma essência, mas diferentes no humor e na forma como as coisas nos acontecem.
Não sei como é com todo mundo, mas as vezes me sinto como A., um pouco estranho e peculiar mas ainda assim interessante.
Um corpo novo, um quarto diferente para se acordar a cada manhã, roupas diferentes, uma mãe e um pai novo a cada dia. Realmente rotina parece não ser um problema para A.!
Essa situação que muitas vezes deixou A. confuso, com medo e triste fez com que se acostumasse, uma vez que não tinha controle sobre a situação. Tudo era “normal”. Acordar em um corpo novo, tomar café, ir para uma nova escola e enfrentar a rotina de cada personagem como se fosse ela ou ele próprio.
A situação a qual A havia se acostumado ou aceitado não foi a mesma quando ele acordou no corpo de Justin. Mal podia esperar o dia que teria e quem seria Justin, não poderia imaginar, inclusive, o encontro com a garota que faria A. desejar ter um corpo só para si e ser sempre o mesmo a cada dia. Rhiannon é a garota por quem A. se apaixona e por quem tenta voltar a encontrar a cada dia, nem que seja por breves instantes. Fazer parte do mundo dela e se sentir parte de alguém é tudo que A. deseja. Mas como acordar com eu diferente a cada dia foje totalmente de seu controle A. se depara com o desafio de ser outra pessoa e encontrar sua amada. Além de mudar toda sua vida, por um único dia A. muda a vida e a rotina das pessoas que ocupa. Tudo isso na desesperada tentativa de ter Rhiannon ao seu lado.
Todo dia me transportou para dentro e fora de mim mesma. Me fez questionar muita coisa e também a sanidade do autor por imaginar uma história tão incrivelmente insana e ao mesmo tempo linda e carregada de significados. Uma história apaixonante sobre a vida, o amor e o que tudo isso faz com a gente.

“É muito difícil ter uma noção verdadeira do que é a vida quando se está num único corpo. Você fica tão preso a quem você é. Mas quando quem você é muda todos os dias, você fica mais próximo da universalidade. Mesmo dos detalhes mais triviais. Você percebe que as cerejas tem gosto diferente para pessoas diferentes. Que o azul parece diferente. Você vê todos os estranhos rituais que os garotos têm para demonstrar afeição sem admitir. Você aprende que, se um dos pais lê para você no fim do dia, é sinal de que ele é um bom pai, porque já viu muitos outros pais que não têm tempo para isso. Você aprende o verdadeiro valor de um dia, porque todos os dias são diferentes. Se você perguntar à maioria das pessoas qual a diferença entre a segunda e a terça-feira, provavelmente vão responder dizendo o que comeram no jantar à noite. Eu, não. Ao enxergar o mundo de tantos ângulos, percebo a melhor dimensão dele.” (pag. 93/94)

Todo dia - Ficha Técnica

Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Tradução: Ana Resende
Páginas: 280
Categoria: Literatura Estrangeira-Romances
Resumo:
  Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor. "Inovador, único, divertido e dolorosamenre honesto. Levithan explora de maneira brilhante o sentimento adolescente de não pertencer, de não se encaixar." Jodi Picoult, autora de A guardiã da minha irmã David Levithan é editor e autor premiado de livros jovem adulto. Seu último sucesso Will & Will - Um nome, um destino, escrito com John Green, foi o primeiro livro jovem adulto com personagens gays a entrar na lista dos mais vendidos do NYT.

Onde Comprar

Um comentário:

  1. Oi, tudo bom? Todo mundo fala bem deste livro e estou super curiosa agora! Adorei o blog! Beijos,
    entreeleitores.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada por participar com sua opinião. Seu comentário será aprovado em breve!

Respondemos todos os recadinhos!